terça-feira, 1 de julho de 2014

Burguesia Provinciana

A burguesia industrial e comercial brasileira é a mais provinciana que existe! Defende um ensino público de baixa qualidade para que a estrutura social do país se mantenha da maneira que conhecemos. No entanto, não percebe que a baixa qualidade educacional do nosso país faz com que nossas indústrias permaneçam menos produtivas do que as indústrias estrangeiras, pois, nossos alunos saem do ensino médio semi-analfabetos.

O governo tem se vangloriado de diminuir o analfabetismo no país. No entanto, sabemos que isso é a maior falácia que nos querem fazer engolir.

Recentemente, conversando com os meus alunos sobre suas dificuldades de aprendizado em minha disciplina, fui surpreendido por um depoimento estarrecedor de uma aluna:

" Professor, comecei estudar em 2010. Me disseram que eu era alfabetizada, sem nunca ter passado pela a alfabetização. Me colocaram na 1ª série. Hoje estou no 2º ano do Ensino Médio."

A aluna estudou da 1ª série do ensino Fundamental até o 2º ano do Ensino Médio em apenas 4 anos. É óbvio que se o aluno não for um superdotado (algo raro no ensino público), pouca coisa ele terá de oferecer à sociedade quando terminar o Ensino Médio. 
Os nosso políticos querem números para servirem de propaganda política. Resolver de forma efetiva os problemas da educação, não está nos inúmeros programas de governo dessa classe desonesta. 

Quem teria força para fazer pressão junto aos políticos (os empresários), são os primeiros interessados em que a precariedade do sistema educacional continue do jeito que está. Vale ressaltar que é um interesse burro, pois são os primeiros a serem prejudicados, ao receberem cotidianamente, profissionais sem capacidade de lidar com os problemas dentro de uma empresa, limitando drasticamente sua produção.

Como iremos concorrer com a Coréia do Sul, China e Japão, por exemplo? Esses países colocaram a educação como prioridade nas últimas décadas e olha o que aconteceu!!!!!! Viva ao provincianismo dos nossos burgueses!!!! Viva!!!!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

A Bahia e a Violência Urbana

Nunca presenciei uma situação tão precária no estado da Bahia. Os índices de violência extrapolam o limite do bom senso, o tráfico de droga domina até as cidades do interior, as escolas estaduais estão jogadas às traças, a saúde pública continua a porcaria de sempre e o arrocho salarial massacra os funcionários públicos. As chacinas nos bairros pobres, típicas do governo ACM, nunca estiveram tão evidentes. Sem falar dos desvios de verbas públicas para as obras da Copa do Mundo.

Derrubaram um Estádio que tinha a piscina Olímpica mais importante do Estado da Bahia, uma pista de atletismo e um ginásio de esportes, que apesar de precário, funcionava. A Nova Fonte Nova atende apenas aos interesses do capital. É vergonhoso, é humilhante. Essas práticas e outras, respondem o porquê dos índices de violência estarem tão altos. Se falarmos dos problemas conjunturais relacionados ao país, faltará tempo para colocar tudo em palavras.

sábado, 28 de junho de 2014

A Violência no Brasil

Tenho pensado ultimamente sobre o aumento do índice de violência no nosso país. Eu, como professor de História, sempre pensei, que com a diminuição da desigualdade social, consequentemente, diminuiria o índice de violência. No entanto, o que dizer do Brasil?

Nos últimos anos, é inegável a diminuição da desigualdade social. Porém, houve um aumento assombroso da violência no país. Acredito, que esse desequilíbrio, só aconteceu porque não houve nenhum tipo de investimento na educação. As salas de aulas são medievais e os professores recebem os piores salários dentre os profissionais de nível superior. Isso explica, em parte, o porquê do aumento da violência, mesmo com a diminuição da desigualdade. Estou cada dia mais convencido que distribuição de renda se faz com educação pública de qualidade.

Se tivéssemos realmente uma escola pública de qualidade, que possibilitasse uma mobilidade social plena dos grupos socialmente menos favorecidos, dificilmente a Bahia (estado no qual vivo), passaria por um caos, recentemente, por conta de uma greve de policiais. 

Todo o caos que estamos vivendo, sinaliza que algo muito grave está acontecendo! Infelizmente, visões reducionistas, querem nos fazer crer que a culpa é dos policiais ou de conjunturas sociais específicas. 

Há muito tempo, a estrutura sócio-econômica do nosso país está sendo comprometida pelos desmandos dos nossos governantes, em relação à educação pública. Podem tapar o sol com a peneira. Querendo ou não, a única solução é a educação!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

O Vilão "Eleitoreiro"

Os defensores do atual governo do estado da Bahia precisam saber que as escolas da rede estadual começaram o ano com três meses de salários atrasados dos funcionários terceirizados, sem verba para comprar piloto, papel A4, papel higiênico, sem merenda escolar, sem dinheiro para pintar e fazer pequenas reformas e sem cadeiras para recompor às quebradas. Ou seja, caos generalizado. É esse o ambiente de trabalho que os professores estão enfrentando, com péssimos salários.

Para os desavisados, é bom informar que o salário base de um professor 20h é de R$ 875,00. A situação é humilhante!

Agora, o candidato ao governo do estado da Bahia, Rui Costa, está tentando jogar a classe mais pobre contra uma classe média, que segundo o próprio PT, é composta de pessoas que ganham abaixo de R$1.500,00. Não vejo o PT jogar a classe D contra a elite que enriqueceu, de maneira assombrosa no seu governo! Os banqueiros, donos de grupos educacionais, industriários, grandes agricultores e o PT são os santos. Vilão é quem ganha R$1.500,00 por mês e paga uma carga tributária absurda nesse país! 

Estou cansado desse discurso de classe, sem embasamento teórico!! Isso é apenas retórica "eleitoreira". Os membros do PT nunca leram um livro de Marx para saberem o que é luta de classe!!!! Os petistas precisam saber que os burgueses, na Revolução Francesa, lutavam contra a nobreza, e não contra o campesinato. Esse idiota faz parte do partido que não cumpre o piso nacional da educação básica!